BOLETIM INFORMATIVO 17 – 07/07/2020

Na manhã desta terça-feira, 07, o Comitê Regional de Atenção ao Coronavírus, reuniu-se para traçar novas ações coletivas de orientação, recomendação e prevenção, face à pandemia do COVID – 19.

Ações recomendadas:

1. Mantém a orientação para que a população adote com o máximo rigor as ações de prevenção como: higienização correta das mãos com água e sabão, utilização de álcool gel, não compartilhar talheres, copos e toalhas, ao tossir ou espirrar cobrir o nariz com lenço ou espirar no braço, evitar levar as mãos não higienizadas na boca, nariz e olhos, utilização de máscaras de proteção individual, entre outras, conforme orientações do Ministério da Saúde e das autoridades de saúde;

2. Chama a atenção para a falta de insumos (medicamentos) necessários para a assistência dos pacientes internados em UTI (entubação), tanto para UTI Covid e UTI Geral. O assunto está em pauta a nível da SES, COSEMS e hospitais e preocupa o desabastecimento e os altos valores praticados pelo mercado, que poderão prejudicar as ações de assistência;

3. Informa a posição do COE de suspender as Cirurgias Eletivas, pela falta desses insumos e para priorizar os atendimentos essenciais e de urgência;

4. Informa que as vinhetas da “Cruzada Regional de Sensibilização e Conscientização” da população estão prontas e serão disponibilizadas para os municípios, no sentido de massificar as informações de prevenção;

5. Chama a atenção com relação a “Nota Técnica – DEAMB, da FEPAM”, de 25 de junho de 2020, que regulariza o transporte das amostras e dos resíduos para procedimentos de exames de RT-PCR, que não podem ser realizados em carros sem licenciamento da FEPAM. Esse tema preocupa os gestores de saúde, considerando que os laboratórios credenciados estão em Porto Alegre e a logística está sendo realizada com os veículos das Secretaria de Saúde;

6. Definem por esperar uma posição oficial do Estado e do COSEMS sobre esse complexo tema, considerando que estamos atravessando uma pandemia e que os exames são indispensáveis no enfrentamento da Covid-19;

7. Delibera pela realização de novo “Levantamento Regional”, com relação aos estoques de EPIs, insumos e testes rápidos necessários ao enfrentamento da Covid-19, nos critérios: Muito Bom, Bom e Regular;

8. Delibera pelo levantamento de mais dados de caráter regional como “Número de Internações Clínicas por Covid-19” nos hospitais da região, tendo em vista a relevância dos números/indicadores para as estratégias e possíveis defesas, face ao Modelo de Distanciamento Controlada do Estado;

9. Apresenta os indicadores do último boletim divulgado na segunda-feira, dia 06;

10. Informa que o Comitê/AMAU apresentou pedido de reconsideração ao Estado em virtude de a bandeira ter migrado para a cor vermelha, com vasto arcabouço documental. Ressalta que o mesmo foi fundamental na defesa, que resultou na permanência na cor laranja “Médio Risco”;

11. Manifesta a presente preocupação com a possibilidade de alteração da bandeira que atualmente está classificada com a cor LARANJA (Médio Risco), e que para manutenção dessa coloração é fundamental a adesão da população na adoção das medidas preconizadas;

12. Informa que a 11ª CRS disponibilizou testes rápidos para serem realizados nos integrantes da Força Voluntária, e que a logística de aplicação ficará por conta da Secretaria de Saúde de Erechim;

13. A FHSTE informa que com a chegada de mais cinco (05)respiradores ocorrerá uma ampliação dos leitos de UTI Covid, que passarão de 10 para 15, ampliando a capacidade de atendimento;

14. Informa que na próxima quinta-feira, dia 9, será realizada uma reunião on-line com o Técnico da Saúde da FAMURS, Paulo Azevedo, e todos os Secretários de Saúde e membros do Comitê Regional estão convidados para participar. Assunto referente a pandemia do novo coronavírus;

15. Reforça a atenção para os cuidados necessários tendo em vista a chegada do inverno, com temperaturas mais baixas. Nesse período poderá deverá ocorrer uma procura maior pelos serviços de saúde (UBS), em virtude da Influenza e outros, e todas as unidades de saúde devem estar atentas as medidas preconizadas de prevenção;

16. Nos municípios em que ainda persiste a aglomeração de pessoas orientamos para que as lideranças busquem coibir essa prática mediante o diálogo permanente e, se for o caso, através da parceria com os serviços de segurança;

17. Mantém a orientação que a população confeccione a sua máscara de proteção (barreira física) para circular em ambientes públicos, de acordo com Nota Informativa nº 3/2020 – CGGAP/DESF/SAPS/MS, respeitando a forma de confecção, higienização, materiais recomendados e descarte, tendo em vista a obrigatoriedade do seu uso pelo Decreto Estadual;

18. Reitera a importância de evitar a aglomeração de pessoas, prevalecendo a medida preconizada do “Distanciamento Social” (1,5 a 2,0 metros entre as pessoas);

19. Reitera a posição da “Restrição Social”, para idosos e portadores de doenças pré-estabelecidas, que se enquadram no grupo de risco e que segundo as estatísticas poderão ter um agravamento do quadro clínico;

20. Chama a atenção para que as lideranças da saúde e outros utilizem ao máximo os veículos de comunicação, para levar as informações pertinentes, bem como para realizar o chamamento da importância da adesão da sociedade na aplicação das medidas preconizadas de prevenção, para evitar a disseminação da Covid-19 e também para não haver troca da cor da bandeira;

21. Destaca que estamos entrando em um período difícil quanto as doenças típicas de inverno e, portanto, mais possibilidades de internações, por essa razão não podemos relaxar nas ações de prevenção e na testagem dos casos suspeitos, para adoção das medidas recomendadas;

22. Permanece a orientação para que a população da região evite ao máximo o deslocamento para municípios vizinhos como Passo Fundo, Concórdia e Chapecó, considerando que estas cidades estão apresentando números elevados de COVID-19;

O Comitê Regional de Atenção ao Coronavírus ressalta que muitas medidas se fazem necessárias no sentido de minimizar a contaminação e tem adotado as ações seguindo diretrizes técnicas do Ministério da Saúde.

O momento exige medidas enérgicas, em virtude dos acontecimentos vivenciados em outros países e nos grandes centros, que aos poucos vem se lastrando para outras localidades.

Precisamos, num esforço conjunto e com o aval da população, achatar a curva epidemiológica da contaminação, para que possamos ofertar uma assistência adequada à população.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: